Páginas

quinta-feira, março 23, 2006

As formas perfeitas de Manara...

Perdida no meio da selva ela avança caminha sem destino, as roupas rasgando-se nos galhos, a pele arranhada e suja misturada ao cheiro de seu perfume caro, a boca seca pedindo por água, o coração batendo forte de medo e ansiedade, a vontade de sobreviver e sair dali, desejando que alguem a salve...
A leitura a hipnotizou e ela se viu cercada de tentações. Desnudou-se e procurou o prazer, a imaginação levando seus olhos onde ninguem poderia seguí-la, as mãos suadas e frias procurando uma trilha, o peito arfando saciando o desejo, a boca sedenta aguardando o beijo.


Seria verdade o que seus olhos viam? Ela apareceu de repente, nua a sua frente tapando o sol do final da tarde, os olhos penetrantes desejando-o, seu corpo esguio suavemente aproxima-se dele, suas mãos quase podem tocá-la, sentí-la. Seria enfim verdade ou só mais uma ilusão?


Saborear o doce néctar de seus lábios, o fogo incutido em sua boca, sentir o calor de sua respiração, o doce suor escorrendo sobre seu corpo. Quem poderia negar a ela esse prazer?
Postar um comentário