Páginas

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Orgulho de ser Baiano.

Ser baiano é.....

Ser chamado de preguiçoso pelos cariocas

e sentir no tom de voz que eles morrem de inveja

porque aqui tudo é perto...

toda hora tá cedo...

e o trem das 11 passa às 12:30...

De modo que sempre dá pra tomar mais uma...

..........................................................

Ser chamado de barbeiros pelos paulistas...

e saber que aqui não tem revezamento,

porque o ar não é poluído,

os motoristas são calmos

e o som das buzinas tocam em ritmo de axé...

ou seja: 'PAZ pra todo mundo!!!'...

.........................................................

Ver os mineiros falarem da nossa culinária

e ficarem babando quando passam

na frente de uma baiana do acarajé....(Huuummm...)

.........................................................

Saber que as mulheres e os homens mais lindos do pais

estão no Espírito Santo...

e ter a felicidade de saber que nas férias

eles vêm para cá ficar de joelhos...

para dizer amém na Bahia...

.........................................................

Ver as loiras gaúchas e catarinenes

andando de mãos dados com os negões sarados..

Ver os mais lindos turistas no maior love...

descobrindo 'o que a baiana tem'...

..........................................................

Passar no Dique receber um axé dos orixás...

seguir direto e ver a Fonte Nova

azul, vermelha e branca...

e vermelho e preto...

e os torcedores do Vitória misturados aos do Bahia...

mas... Sempre, cheia e alegre...

sem bomba, sem tiro, sem pancadaria... (certo, a Fonte desabou, mas espere pra ver a Nova)

........................................................

Ver o Pôr-do-Sol do Farol...

...da Barra, do Humaitá, de Mar Grande...

Aaaahhh... de qualquer lugar...

Pois aqui o sol se põe inteiro!

Em qualquer lugar dá pra vê-lo dormir sobre o mar...

.........................................................

Passar uma tarde em Itapuã...

ao Sol que arde em Itapuã...

falar de amor em Itapuã....

........................................................

Sentar em Cira e pedir...

uma gelada, um abará e um acarajé 'cortadinho'

Vendo as pessoas passando de um lado para outro...

depois de sair do trabalho...

.........................................................

Vestir branco sexta feira...

ir na Lavagem do Bonfim...

e lavar a cara....no Bonfim Ligth

.........................................................

Morrer de rir quando vê na televisão

o carnaval em outros estados

com um ou dois trios elétricos falsificados

tocando na praia, e o pessoal jogando 'espuminha'

enquanto um som mecânico toca música de Bel e de Ivete.

Ver os turistas' fazendo (errado) as coreografias

que fizeram sucesso na Bahia.....

no final do ano passado (risos)

..........................................................

Ir passar o Carnaval em Recife e Olinda

dançar frevo melhor que os pernambucanos

e poder curtir saudosamente aquele carnaval

de mil novecentos e antigamente

quando o tempo parou lá....

..........................................................

Ir para qualquer lugar e ser logo reconhecido

onde estamos: fazemos amigos,

sabemos conversar, dançar, cantar, encantar e sorrir,

hehehe, modéstia a parte, também somos bons de cama.....

..........................................................

Ir pra o Aeroclube

passear na porta de todas as boates, barzinhos,

paquerar, charlar, xavecar, arrumar namorada (o)...

tomar um chopp e gastar só um real...

isso quando não volta com troco....

..........................................................

Ir pra 'Aleluia' e ver todo mundo pecando

de roupa mínima...

Ir para Piatã e Ipitanga e não ser programa de índio

Ir para o Porto da Barra

de segunda a sexta e não ver um navio...

Porque no porto da Barra só tem 'avião'.

.........................................................

Não ser 'expert', mas sempre se dar bem

Não ser 'ô meu' e mandar no pedaço

Ser nordestino até Ilhéus

...do Centro-oeste até Barreiras

...sulista à partir de Porto Seguro

...e Nortista até Juazeiro...

..........................................................

Ser baiano é saber que mora na maior cidade do Brasil.

As duas primeiras não são 'cidade'

...são só um monte de amontoado:

... grande isso ... grande aquilo.

Que tem tudo que uma cidade pequena deve ter

Tudo que uma cidade grande precisa;

Poder sair a noite com relógio no pulso...

sem medo de bala perdida... ou certa...

..........................................................

Ser baiano é ser amigo

ser honesto e ser alegre.

É ter a consciência que mora em uma cidade

onde Deus pegou o melhor das outras partes do mundo,

encostou no mar, do lado de umas serras,

cortou por uns rios... misturou tudo

e fez uma linda cidade,

dando-lhe o nome de Seu Próprio Filho...


SALVADOR!!


É ou não coisa de baiano que não tem o que fazer???

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Os melhores amantes são os Geeks



Discaradamente chupinhado do http://www.kamasutra.blog.br/





Os Geeks estão entre nós! São pessoas, muitas vezes analista de sistemas; que entendem do mundo HI-TEC. Ligados a tecnologia, de características excêntricas e mentes brilhantes, constroem e transformam o mundo a nossa volta.
Fugindo do estereótipo de homem másculo, viril de cabeça de melão; uma das autoras do blog americano Wired, escreveu um artigo muito interessante, essa semana, sobre os 10 motivos pelos quais os geeks são melhores amantes. O kama não podia ficar fora, traduziu, adaptou e disponibilizou o artigo na integra. Veja abaixo:

Geeks tem conhecimento


Os jogos Second Life e 3dSexVille, e site Red Light Center (conteúdo adulto) contêm animações de sexo muito bonitas. Um sistema que obviamente não foi idealizado por uma reunião executiva, os geeks o fizeram.
Estes projetos requerem forte experiência técnica e mente aberta para idealizar as inúmeras práticas sexuais. Afinal, não se pode fazer apenas uma preferência, especialmente quando se trata de um produto que as pessoas irão comprar.
O fato de geeks usarem seus conhecimentos técnicos para expandir as opções sexuais para todo mundo é evidencia, suficiente, de seu entusiasmo e dedicação como amantes
Geeks levam a tecnologia a sério

É mais fácil para um geek entender como personalizar brinquedos e projetar ambientes do que um não-geek. Essa experiência traduz uma enorme sensibilidade com relação ao clima (atmosfera) durante o sexo – não simplesmente só aceder uma vela.
Não se surpreenda se seu amante geek reorganizar seus vestuários, ou se artigos domésticos tomarem dimensões eróticas e pervertidas. Ouvi dizer, de mais de um geek, que o depósito da casa é o sexshop favorito deles/delas.

Geeks gostam de interpretação

Geeks combinam uma imaginação erótica bem desenvolvida com habilidades físicas. Não é difícil para um geek mudar de um avatar (personagem de um jogo) “Eu sou um ladino nível 13, leal/mau” para “Eu sou o carcereiro e você é a nova prisioneira”. Cientistas e psicoterapeutas afirmam que o cérebro é o mais poderoso órgão sexual. A familiaridade de um geek com fantasias pode tornar muito mais fácil realizar as suas.

Geeks interagem

Tecnofóbicos geralmente conversam com você ao vivo. Mas, um geek fica contente em trocar SMS, flertar com você por um chat, Skype, mandar fotos engraçadas tiradas com o celular para o seu e-mail, jogar online, comentar no seu blog/flog, seduzindo você por mensagens instantâneas.

Geeks fazem as coisas

Geeks sabem todos os atalhos. Eles pesquisam seus interesses, mandam presentes surpresa, planejam suas ferias perfeitas, cuidam da contas e compras fora do seu trajeto, escrevem para as mães deles e te provoca sem piedade. Tudo isso enquanto fingem trabalhar. E quando você pede para eles instalarem sua rede wi-fi ou home theater, é feito rapidamente e sem reclamações.
Em outras palavras, geeks sabem como tirar tudo do caminho para que se tenha mais tempo para se fazer amor.


Geeks são gostosos

E usam os óculos muito legais.

Geeks não se surpreendem facilmente

Geeks já viram todo o tipo de pornografia. Portando é mais difícil de ficarem surpresos com seus desejos exóticos. De fato, é capaz de eles nem perceberem que seus desejos são exóticos.
Pelo contrario, o seu geek é capaz de ficar aliviado em saber que sua maior fantasia envolve apenas mais duas pessoas, cinco utensílios e um trapézio.

Geeks conhecem pessoas estranhas

Geeks não só viram uma variedade de posições e fetiches como conhecem (ou são) pessoas que gostam disso, portanto eles não dispensam uma categoria toda de interesses sexuais por pura caretice.
Amantes geeks sabem melhor como impor suas preferências ou padrões sexuais nas outras pessoas - incluindo seus amigos - e são mais propensos a amar e a serem amados.

Geeks entendem relações multidimensionais


Geeks conectam com os amigos on-line de várias formas e jeitos. Eles podem passar de uma conversação com um sócio, para uma criança, sem sentir descontinuidade do papo. Até em casos extremos de um papo com amigo-pai-43-dois-filhos para uma dominatrix-22-sexual. Assim, ele não enxergará problemas na hora em que você quiser um sorvete com cereja e chocolate em pedaços, montados em um estilo rodamoinho com amêndoas e waffle; para uma simples casquinha de morango.


Geeks não temem as novidades tecnológicas ou “o futuro do sexo”


Geeks leram a ficção científica. Eles sabem as predições medonhas do mundo onde a carne será substituída por redes neurais e robôs de sexo que também fazem serviço doméstico (ou aqueles robôs de casa, só para o serviço sexual).


Geeks já imaginaram como a tecnologia poderia levar-nos para o buraco e aprenderam a sair dele, pois desenvolvem tecnologia em primeiro lugar.


Ao mesmo tempo, geeks sabem, melhor que qualquer um, que algo sempre dá errado e não vê problemas em você utilizar o mais novo brinquedo sexual iiErotoTrix 5000 v3 do que ele; contanto que você compartilhe.


A literatura e a imprensa não substituíram o sexo, nem fotografia, automóveis, vídeo, pornô online ou serviço de encontros 3D. Os amantes geeks gastam mais tempo com a tecnologia do que apreciam a maravilha do toque humano, sem igual.


Regina Lynn

terça-feira, dezembro 11, 2007

Águas sagradas


Não se espante se em breve você estiver vendo TV e um comercial lhe anunciar a água mineral de Jesus, a gaseificada de Maria ou a aromatizada dos apóstolos. Nova mania que começa a se espalhar nos Estados Unidos; as àguas minerais com motivos religiosos e suas agregadas promessas de bem estar espiritual, proximidade divina, curas, etc; além dos irressistíveis apelos à caridade, são produzidas por companhias que utilizam recursos tais como levar sacerdotes anglicanos ou católicos para abençoar a produção - claro, após um rígido controle de qualidade da lavra mineral - e assim transmitir ao precisoso líquido as propriedades divinas. Outras são energizadas pelo simples soar de gongos e tambores tibetanos, transmitindo, segundo seus produtores, energia e bem estar não só ao beber da àgua, mas pelo simples segurar da garrafa nas mãos. Chique não?

Uma outra companhia traz a garrafa estampada com a imagem de Nossa Senhora (há mais 10 outros motivos diferentes), juntamente com uma oração à virgem; segundo o distribuidor (um ex-negociante de pesticidas - chamado Elicko Taieb), a àgua espiritual ajuda as pessoas a "manter o foco, ter fé em si mesmos e ter fé em Deus".

Vendo a reportagem publicada na Newsweek, não pude deixar de lembar os inúmeros souvenires vendidos como milagrosos em diversos pontos considerados sagrados no Brasil, ou nem tanto. Católicos vendem santinhos e "pílulas milagrosas", evangélicos vendem oléos santos "de Israel" ou maçãs da "felicidade no lar", adeptos dos candomblés vendem banhos e beberagens. Àgua benta? Bem, não vejo melhor negócio pra indicar ao jovem investidor; se não salvar a alma, pelo menos matará a sede.

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Querem estabelecer cotas na TV

Aqui no Brasil quando faltam políticas sérias de inclusão e incentivo, seja à educação, segurança ou à produção artístico-cultural, vem logo um político (que diz representar nossos interesses) e propõem algo absurdo como algum sistema de cota ou uma nova lei de "defesa da minorias", quer exemplos?

A violência contra a mulher crescia assustadoramente, criaram uma lei específica que pune com mais rigor o cara que bate na esposa, com delegacias especializadas, atendimento diferenciado, etc. Não deu certo, que fazem então? Criam uma nova lei, mais rígida e com mais proteções, colocam o nome de uma vítima (que durante anos sofreu pela ineficiência do Estado em protegê-la - e a todos os cidadãos) e comemoram como se isso fosse um verdadeiro avanço em direção ao primeiro mundo. Podiam bem ter investido em educação e no efetivo cumprimento da legislação "normal", até porque a Constituição não admite que as pessoas sejam tratadas de modo distinto ao "todos são iguais perante a Lei..."

Descobrem que a maioria negra do país dificilmente consegue chegar a concluir o 2º Grau, quanto mais chegar a Universidade, que fazem? Jogam de lado o fato dessa enorme população que não consegue estudar não é ser formada de negros, mas de pobres e criam cotas universitárias, assim resolvem o "problema imediato", ganham pontos junto à população e continuam não investindo o suficiente na educação básica, para que os pobres possam efetivamente ter as mesmas chances do mais dotados fincanceiramente, sejam eles negros, pardos ou brancos.

Mais exemplos? Não conseguem evitar a entrada de celulares em presídios, então colocam bloqueadores caríssimos e ineficazes nas redondezas - Não conseguem efetuar um planejamento para a saúde, culpam a falta de recursos e prorrogam indefinidamente uma "contribuição" obrigatória.

Agora querem obrigar as TVs, estabelecendo cotas de modo que 50% da programação dos canais por assinatura seja obrigatoriamente nacional. Isso mesmo, essa é a proposta de emenda do Putado Jorge Bittar (PT-RJ) - Já que a produtoras nacionais "são incompetentes para serem queridas pelo povo, vamos obrigá-los..." - Como se elas precisassem disso; nossos programas são suficientemente bem produzidos para que conquistem seu espaço sozinhas. Eu quero ter a liberdade de poder escolher meus canais e vê-los (inclusive os muitos nacionais de excelente padrão) sem ser obrigado a engolir qualquer coisa só porque é nacional.

Lembram-se da época em que o cinema pornô nacional deslanchou? Incentivo de cotas do governo, era fácil, barato e subsidiado... Conteúdo? A Alcione Mazzeo peladona na tela de TV.

Se você também é contra essas idiotices deputadas, clique AQUI e proteste.

TV PAGA: Novas regras.

Na primeira segunda-feira de junho de 2008 o relacionamento entre os usuários dos 28,6 milhões de domicílios brasileiros atendidos por TV por Assinatura — TV a Cabo, Distribuição de Sinais Multiponto Multicanal (MMDS), Distribuição de Sinais de Televisão e de Áudio por Assinatura Via Satélite (DTH) e Especial de TV por Assinatura (TVA) — e suas prestadoras serão regidos pelo Regulamento de Proteção e Defesa dos Direitos dos Assinantes dos Serviços de Televisão por Assinatura. O Regulamento publicado hoje (05/12) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) será exigível após os próximos 180 dias, pois há a necessidade de um período para a adaptação dos prestadores dos serviços às novas regras.

O regulamento traz, entre outros, os artigos que tratam da utilização do Ponto-Extra - que permite o acesso a um canal distinto dentro do mesmo pacote do Ponto-Principal - e do Ponto-de-Extensão - que reproduz, sem qualquer alteração, o canal sintonizado no Ponto-Principal ou Ponto-Extra. Pelas novas regras, especialmente os artigos 29 e 30, a utilização de Ponto-Extra e de Ponto-de-Extensão, sem ônus, é direito do Assinante, independente do Plano de Serviço contratado com a prestadora dos serviços.

Além disso, quando solicitado pelo assinante, a prestadora poderá cobrar pela instalação, pela ativação e pela manutenção da rede interna relativos ao Ponto-Extra, o que deverá ser discriminado no documento de cobrança. Sobre a fatura, no regulamento lê-se que "o documento de cobrança deve conter os dados necessários à exata compreensão dos valores cobrados pelos serviços prestados, ser inviolável e redigido de maneira clara, inteligível, ordenada e dentro de padrão uniforme em toda a Área de Prestação do Serviço" (artigo 16).

O artigo 31 informa que o assinante pode utilizar Ponto-de-Extensão, sob sua responsabilidade e expensas, para estender o sinal do Ponto-Principal ou do Ponto-Extra a outros pontos no mesmo endereço. Além disso, o assinante pode contratar de terceiros a instalação e manutenção do Ponto-Extra ou Ponto-de-Extensão, mas, nesse caso, a prestadora não poderá ser responsabilizada por radiointerferência causada em outros serviços e o assinante passa a ser responsabilizado por danos causados aos equipamentos da prestadora (artigo 32). O assinante também deve estar atento à exigência de "somente adquirir equipamentos que possuam certificação expedida ou aceita pela Anatel, quando aplicável"( artigo 4º).

Outros pontos do regulamento são:

  • o usuário passará a ter direito ao recebimento, em dobro e em dinheiro, das quantias pagas em decorrência de cobrança indevida feita pela prestadora, e a não suspensão de serviço prestado sem sua solicitação, salvo por débito ou descumprimento de condições contratuais (artigo 3º);
  • em caso de interrupção do serviço superior a 30 minutos, deverá ser abatido o valor proporcional ao tempo no qual o assinante ficou sem serviço (artigo 6º);
  • o usuário pode pedir, sem ônus, a suspensão do serviço de 30 a 120 dias uma única vez a cada período de 12 meses (artigo 12);
  • a prestadora deve solucionar as reclamações ou responder aos pedidos de informação ou contestação de débitos recebidos dos assinantes no prazo máximo de 5 dias úteis. No caso de pedidos ou contestações por correspondência, o prazo máximo é de 10 dias úteis, (artigo 13);
  • o acesso telefônico ao centro de atendimento é gratuito para reclamações. Se não for reclamação, o valor máximo é o equivalente ao de uma ligação local. Além disso, o atendimento telefônico deve estar disponível diariamente das 9h às 21h (artigo 14);
  • qualquer valor novo instituído pela operadora, diferente do acordado em contrato, deverá ser previamente informado ao assinante em data anterior à cobrança e aceito por ele (artigo 17);
  • a fidelização como cláusula contratual é permitida, mas os mesmos serviços devem ser oferecidos sem a obrigação de fidelidade do assinante (artigo 27);
  • qualquer alteração promovida pela prestadora no plano de serviços contratado deve ser informada no mínimo 30 dias antes de sua implementação. Caso o assinante não se interesse pela manutenção do serviço, poderá rescindir seu contrato, sem ônus (artigo 28);
  • o preço do serviço, o índice e a periodicidade do reajuste, devem ser previstos no contrato (artigo 33);

Devido ao interesse da sociedade, as novas regras estiveram duas vezes sob consulta pública, a primeira entre maio e junho de 2006 e a segunda entre dezembro de 2004 e fevereiro de 2005. As consultas somaram mais de duas centenas de contribuições provenientes dos segmentos interessados - assinantes, Ministério Público (Procuradorias e Promotorias Federais, Estaduais e Municipais), órgãos de proteção e defesa do consumidor e Conselho de Comunicação Social do Senado. O Regulamento foi aprovado em 11 de outubro pelo Conselho Diretor da Anatel e publicado, hoje, no Diário Oficial da União.

Fonte: ANATEL

quinta-feira, dezembro 06, 2007

Brasil: Políticas

A falta de vergonha dos senhores políticos que dirigem esse país deveria ser alvo de estudos acadêmicos e científicos, talvez assim pudéssemos entender o fenômeno que faz presidentes mudarem de opinião, não em favor do povo, mas a favor dos gastos mirabolantes, que exigem mais e mais dinheiro da população e nada resolvem; aliás, resolvem: Os problemas financeiros e pessoais dos "nossos representantes" sempre são resolvidos.
Querem mais dinheiro pra CPMF e o governo ameaça, diz que a saúde vai piorar se ela não for aprovada, etc. Piorar como eu não sei, pois o que se vê nas filas do SUS, é o total descaso das autoridades, faltam médicos, faltam anestesistas, equipamentos se perdem por terem sido utilizados (ou não utilizados) de forma incorreta, remédios perdem a validade em razão de entraves burocráticos e um sem número de problemas.
Claro que os investimentos são feitos todo ano, mas tais "investimentos" são feitos em razão do voto e não de quem vota e necessita das melhorias; desse modo, equipamentos e verbas são distribuídos não em razão da necessidade, de um planejamento racional, mas são feitos em razão de conchavos políticos, troca de vantagens, em troca de votos para aprovar essa ou aquela medida.
Diariamente temos visto tais acontecimentos, que já nem chocam a população que, apática, assiste a tudo isso e ainda aplaude. Não sabemos pensar coletivamente, queremos aquilo que for bom pra "mim" e aceitamos um vaga de colégio, sacos de cimento, um posto médico equipado e inútil, etc. Em troca de votos. E votamos no mal-caráter que vem sorrir na época de campanha, aproveitamos para tentar "tirar vantagem" da situação, dizemos no íntimo e muitas vezes escancaradamente "Ele vai roubar mesmo, deixa eu pegar logo alguma coisa". E assim vamos levando mais e mais hipócritas ao poder e engolindo "as metamorfoses ambulantes" os "esqueçam o que eu escrevi".
A CPMF vai ser aprovada, assim como o Renan foi absolvido; os gastos públicos vão continuar aumentando e o dinheiro da arrecadação de impostos vai bater novos recordes, mas esse dinheiro provavelmente vai continuar bancando banheiras de hidromassagem nos apartamentos funcionais e outras cositas mais...

quinta-feira, novembro 29, 2007

Mudamos... e ainda somos os mesmos

Já cantava a Elis Regina: "Minha dor é perceber que, apesar de termos feito tudo, tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos..."

  • Diziam que os impostos no País eram absurdos, que a carga tributária era um sinal do descaso do governo com os pobres, pois estes é quem mais sofriam com a fome do leão... E a no entanto a carga tributária e os recordes de arrecadação nunca foram tão grandiosos;
  • Diziam que a CPMF era um imposto injusto, anticonstitucional, que taxa a todos sem considerar a renda do contribuinte, diziam que era mais uma forma do governo poder gastar mais e que uma contribuição provisória não podia se perpetuar indefinidamente... Mas estão querendo prorrogá-la mais uma vez;
  • Diziam que o governo gastava demais, contratava demais, que a máquina pública era muito dispendiosa por ser gigantesca e ineficiente... Mas agora defendem mais contratações, mais gastos e nem falam em austeridade em relação aos gastos do governo;
  • Diziam que o lucros dos bancos era fruto de uma especulação injusta e imoral, resultado de conluios escusos entre o governo e os grandes grupos financeiros ou, resultante da falta de mecanismos de controle eficazes e livres de influência externa e interna.... Mas os bancos continuam lucrando cada mais, enquanto leis que poderiam beneficiar a população nas relações bancárias, são adiadas diante que qualquer pressão financeira (vide as tais contas salário, cujo validade foi adiada de janeiro de 2007 para 2012);
  • Diziam que a corrupção era resultado de relações espúrias entre o governo e o mal empresariado e que a honestidade seria algo sagrado no novo governo... Mas nunca se ouviu falar tanto em corrupção e desonestidade quanto agora;
  • Diziam que o governo era fraco, por desconhecer particularidades do sistema e que isso facilitava o uso "da máquina" para facilitar a corrupção... Mas o governante nuca sabe de nada e crê com veemência na inocência de todos, apesar da provas em contrário;
  • Diziam que a democracia é a mola mestra que deveria mover o mundo e que seria ela a nortear todas as ações de governo... Mas apoiamos países que exploram o trabalho infantil e tratamos candidatos a ditadores autoritários como "hermanos";
  • Diziam tanto sobre a humildade... Mas ameaçam arrogantemente quando se vêm contrariados.
Diria o Cazuza: "Não me convidaram pra essa festa pobre, que os homens armaram pra me convencer a pagar sem ver, toda essa droga...." - Renato Russo completaria: "Que País é esse?"

Cerveja



Dizem por aí que a cerveja é prejudicial a saúde, será?! Preocupado com isso, o instituto de pesquisas sócio-deturpativas de choppsservidus, na Noruega, após longas discussões e elucubrações devidamente ambientadas num barzinho da Liberdade, ao som do Araketu e comendo um acarajé bem apimentado, chegou às seguintes conclusões:


  • CERVEJA MATA? Sim. Sobretudo se a pessoa for atingida por uma caixa de cerveja com garrafas cheias. Anos atrás, um rapaz, ao passar pela rua, foi atingido por 1 caixa de cerveja que caiu de um caminhão levando-o a morte instantanea. Além disso, casos de infarto do miocardio em idosos teriam sido associados às propagandas de cervejas com modelos.

  • O USO CONTINUO DO ALCOOL PODE LEVAR AO USO DE DROGAS MAIS PESADAS?Não, o alcool é a mais pesada das drogas: uma garrafa de cerveja pesa cerca de 900 gramas.

  • A CERVEJA CAUSA DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA? Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados preferem whisky.

  • MULHERES GRÁVIDAS PODEM BEBER SEM RISCO? Sim. Está provado que, nas blitz, a polícia nunca pede o teste do bafômetro pras gestantes... . E se elas tiverem que fazer o teste de andar em linha reta, sempre podem atribuir o desequilíbrio ao peso da barriga.

  • CERVEJA PODE DIMINUIR OS REFLEXOS DOS MOTORISTAS? Não. Uma experiência foi feita com mais de 500 motoristas: foi dada 1 caixa de cerveja para cada um beber e, em seguida, foram colocados um por um diante do espelho. Em nenhum dos casos, os reflexos foram alterados.

  • EXISTE ALGUMA RELAÇÃO ENTRE BEBIDA E ENVELHECIMENTO? Sim. A bebida envelhece muito rápido... Para se ter uma idéia, se você deixar uma garrafa ou lata de cerveja aberta ela perderá o seu sabor em aproximadamente quinze minutos.

  • A CERVEJA ATRAPALHA NO RENDIMENTO ESCOLAR? Não, pelo contrário. Alguns donos de faculdade estão aumentando suas rendas com a venda de cerveja nas cantinas e bares na esquina.

  • O QUE FAZ COM QUE A BEBIDA CHEGUE AOS ADOLESCENTES? Inúmeras pesquisas vinham sendo feitas por laboratórios de renome e todas indicam, em primeiríssimo lugar, o garçom.

  • CERVEJA ENGORDA? Não. O que engordam são os salgadinhos, ovos de codorna, coxas de galinha, frituras, etc. Que costumam acompanhar a cerveja.


  • A CERVEJA CAUSA DIMINUIÇÃO DA MEMÓRIA? Não que eu me lembre.


segunda-feira, novembro 26, 2007

Fonte Nova: Tragédia profetizada


Dizem que a história costuma se repetir, no caso da recente tragédia ocorrida no estádio Otávio Mangabeira, popularmente conhecido como "estádio da Fonte nova" - devido ao fato de estar situado bem ao lado da ladeira da fonte, onde realmente existe uma fonte de água natural - a coisa não podia ser mais verdadeira e já profetizada há décadas pelos "mau-agouristas" de plantão. Meu pai estava na "Fonte" em março de 1971, durante o jogo entre Bahia e Grêmio (jogaram também Vitória e Flamengo), dia da reinauguração do estádio (construído em 1951), que havia sido ampliado, quando um dos refletores estourou, criando a maior confusão, já que as pessoas acreditaram que o estádio estava desabando, várias pessoas saíram feridas e três acabaram morrendo na correria do "salve-se quem puder". Pai diz que viu muita gente ser pisoteada e ele mesmo quase o foi, junto com os primos que o acompanhavam e, que graças aos santos e orixás da Bahia, conseguiram sair de lá ilesos.

Naquela época o estádio não desabou, mas no imaginário popular a cena sempre foi visualizada como algo possível e próximo. - Quem já esteve no anel superior num dia de final de campeonato, sabe bem o que eu digo. - A diversão de muita gente sempre foi ver as arquibancadas balançando a cada lance emocionante; estar lá em cima era empolgante e assustador.

Não era de hoje que a Fonte precisava de reformas, seus problemas não apareceram nos últimos meses e nem foram detectados apenas em razão da pretensão à sediar jogos da Copa de 2014 (O estádio nunca teve a mínima condição para isso), eles vêm se acumulando há anos, frutos de uma série de descasos governamentais e das entidades esportivas, que sempre visaram o lucro fácil através da exploração do "vício do povo".

Os dois "únicos" times baianos acumulam recordes de público, mesmo estando nas divisões inferiores do "brasileirão", seus torcedores choram e se desesperam, imploram aos orixás que "fechem o gol" de seus times favoritos e dão um verdadeiro espetáculo de amor e fidelidade nos estádios; nem por isso são agraciados com desempenhos memoráveis de seus times; na maioria das vezes ocorre justamente o contrário: desempenho medíocre e desapaixonado. Parece que só mesmo a fé tem ajudado nas campanhas do campeonato.

Há muito que o torcedor baiano merece mais respeito, um estádio mais moderno e confortável, com melhor acesso e segurança, sem os preços absurdos cobrados por cambistas de "coluio" com dirigentes e administradores. A tragédia atual, na qual morreram 07 pessoas (poderiam ter sido muitas mais), serviu apenas para nos mostrar o quanto o descaso com o povo vigora nos meios políticos, administrativos e esportivos. Agora, os oportunistas falam que avisaram e os responsáveis dizem que não foram avisados; fica-se por isso mesmo: Vidas perdidas, estádio vazio....

Mas não se preocupem, vem mais uma obra faraônica por aí, afinal o show não pode parar e futebol também dá voto. 2014, demolindo um estádio ou construindo outro, teremos nossa copa.

quinta-feira, novembro 22, 2007

Baianidades...


Todo mundo sabe que a Bahia é a terra da alegria, mas não basta nascer aqui pra ser chamado de baiano, que aliás, como bem o disse Gil ou Caetano (não lembro e tô com "priguiça" de procurar), não nasce, estréia. Então, se você é nascido aqui ou tem amigos que o são, verifique abaixo o índice de baianidade, se não se enquadrar, sinto muito, mas você tá mais pra outra coisa, baiano não.


1. Você fica "virado (a) na porra" quando chove no fimde semana;
2. Agüenta comer pelo menos 2 acarajés sem passar mal;
3.Chama seu amigo de "corno", "viado"; sacana; sua amiga de "nigrinha", “piriguete" , "Putena" e eles não se incomodam;
4. Acha normal comer um "cacetinho" ou uma "vara";
5. Acha legal ficar horas na fila do ferry pra passar o feriadão em uma casa com mais 30 pessoas;
6. Já "comeu água" no Chuleta;
7.Vive se perdendo no Pelourinho;
8. Chama Graça de "Gáu', Wagner de "Váu", Gilberto de "Gil";
9. Mata o gerúndio: - Qué qui cê tá FAZENO? Eu tô DURMINO";
11. Fica "rumando" sabonete, alfazema e um monte de tranqueira no mar no dia 02 de fevereiro;
12. Marca um compromisso pra "de hoje a oito";
13. Já chamou carinhosamente alguém de "tio", "esse menino" ou "coisinha";
14. Fala "na moral", em vez de "por favor";
15. Acha compreensivo o diálogo, numa esquina do Curuzu: - Coléde mermo, broder? – É niúma!!! - Vô pro reggae, táligado?... Vô cumê água com os cara!! – Vá nessa, véi! - Falô, maluco";
16. Acha legal quando dizem que você é "miseravão" ou "putão";
17. É "casquinha" o ano todo, mas abre a mão pra comprar o abadá "Chicretão";
18. Insiste em chamar o "Aeroporto Internacional Deputado Luis Eduardo Magalhães" de "Dois de Julho";
19. Já comeu moqueca de miolo, xinxim de bofe, sarapatel, mininico de carneiro, dobradinha, mocotó, buchada, rabada... E gostou!
20. Não vai embora, "se pica", "parte a mil", "se sai";
21. Despede-se com um sonoro "fuiiiiiiiiii";
22. Durante o jogo não diz: "Vamos Bahia!" mas fala: RUMBORA BAÊÊÊÊÊÊÊA, MINHA PÔRRA... SUA MIZERA!!!


Confira:

de 00 a 05 itens - Ih! Você deve ter nascido lá pras bandas do Rio Grande, Tchê!

de 05 a 10 itens - Olhe, meu rei! Você pode até ter uma tia nascida por aqui, mas...

de 10 a 15 itens - Ôxi! tú é baiano de que interiô, mermo?!

de 15 a 20 itens - Ói, mizi fiú, mãe Naninha disse pra tú passá lá no dia da bença, que ela qué jogá os búziu pra tú...

acima de 20 - Porra véio! dêxa de sombra, que a porra tá pegando no Pelô e eu não quero perder as piriguete do Garcia, rumbora sacana!

quarta-feira, novembro 21, 2007

Brasil - maluquices

No meio do caos em que vivemos, com a insegurança rondando diariamente as nossas mentes e transformando figuras fictícias-reais em heróis da guerra urbana (vide o sucesso do Capitão Nascimento), quando deveriam servir para denunciar o desprezo dado ao longo de nossa história à segurança da população, não é de se espantar que surjam inúmeras propostas esdrúxulas e totalmente inócuas travestidas de solução.

Uma dessas proposta é a do Senador Pompeo de Matos (PDT-RS). Uma transloucada tentativa de facilitar o acesso de armas à população; alega o senador que a atual legislação, somente contribui para a ilegalidade do porte e para o descontrole da quantidade de armas existentes no país. Bem, controle nunca houve mesmo, sequer sabemos as diversas rotas de entrada da armas de fogo no Brasil ou mesmo controlar a venda ilegal de armas apreendidas por policiais ou roubados de quartéis. Não temos um patrulhamento efetivo das nossas fronteiras, seja marítima, aérea ou física, pois nossas Forças Armadas estão a deriva dos investimentos. Fruto de uma visão errônea de que somos um País vivendo pacificamente e sem inimigos - Esquecem os traficantes que invadem nossas fronteiras, dos contrabandistas, dos interesses internacionais em nossas riquezas (já disseram que querem nossa Amazônia - e isso não foi considerado ato de intenção hostil a longo prazo???). Esquecem que a defesa pátria não ocorre apenas em tempos de guerra e que as forças armadas devem estar fortalecidas para assegurar a soberania - o senhor Chaves sabe muito bem disso - e proteger os cidadãos.

Voltando à proposta do senador, liberar mais armas legalmente (diminuindo as exigências e permitindo a mais pessoas poderem adquiri-las) não vai causar nenhuma diminuição da violência, antes disso, causará um implemento dessa violência; concordo que o alto custo de legalizar uma arma (somente para efeitos de registro já que o porte civil acabou, salvo algumas exceções) acaba levando muitas pessoas à clandestinidade, baratear esse custo daria condições de melhor controle para o governo, mas não são essas as armas responsáveis pela violências na ruas.

Querem propostas sérias de combate à violência? Então comecem a discutir mais investimentos na preparação e reciclagem dos policiais, combate à corrupção nos diversos setores do governo, criação de mecanismos eficazes de controle da venda de bebida alcoólica, criação de clínicas públicas para tratamento de drogados e alcoólatras, maior fiscalização e punição severa para motoristas bêbados, proibição da venda de bebidas em determinados locais e horários (o que, aliás, já demonstrou ser um fator preponderante na diminuição da violência em algumas cidades onde foi implementada), investimentos sociais na favelas, mudanças no estatuto da criança e do adolescente, diminuição dos privilégios políticos, redução dos recursos possíveis na esfera judiciária, criação de um regime penitenciário mais severo e mais humano (onde o preso fosse tratado com dignidade, mas sob um regime disciplinar austero e sem privilégios individuais - afinal disciplina não "desumaniza" ninguém), que possibilitasse a reeducação do preso (onde ele seria obrigado a estudar e trabalhar - preso não pode ter os mesmos direitos de quem sempre seguiu a lei, claro que ele deve ser tratado com respeito, mas isso não quer dizer que ele deva ser tratado com condescendência).

Se os nossos políticos um dia pararem de olhar o próprio umbigo e começarem a pensar no que é melhor para a população, ouvi-la e se dedicarem a causa pública, aí começaremos a ter o Brasil que todos sonhamos.

sexta-feira, novembro 09, 2007

BOPE ARGENTINO



Quem disse que nossos "hermanos" não possuem uma força policial eficiente e preparada??

Cap. Nascimento e o futebol

REPÓRTER

- Cap. Nascimento, como todo bom carioca o Sr. deve torcer para algum time do Rio, não?

Cap. Nascimento

- Torço, sim. Mas gosto mesmo é de torcer pescoço de traficante e maconheiro safado.

REPÓRTER

- Então, como capitão do BOPE, o Sr. deve torcer para o Flamengo, cujas cores lembram seu uniforme e olhos injetados.

Cap. Nascimento

- Tá de sacanagem comigo, moleque? Tá de sacanagem? Eu lá vou torcer pro time que a maioria dos traficantes torce? É graça, mesmo. Eu lá sentado do lado de traficante no dia seguinte a uma batida no morro.

REPÓRTER

- Desculpe, capitão! Então, pela reação, o Sr. deve torcer para o Vasco.

Cap. Nascimento

- Eu tô armado, cumpadi! Tu tá me zoando? Nr. 05, nós somos PM? Nós somos segundo lugar?

Nr. 05

- Não, capitão! Nós é caveira!

Cap. Nascimento

- PM é que é segundo lugar. Nós é caveira. Primeirão. Vou torcer para vice????

REPÓRTER

- Fluminense?

Cap. Nascimento

- Aqueles maconheiro viado??? Tu já viu aquela camisa toda colorida? Sabia que aquilo é time de playboyzim?

REPÓRTER

- Bom, então só pode ser o Botafogo.

Cap. Nascimento

- O mané! BOPE...Caveira... É tropa de elite!!! Num é de sofredor, não!

REPÓRTER

- Então, qual time é teu?

Cap. Nascimento

- Como é que é, seu viado? Quem meteu em quem? Nr. 03, traz o saco. Esse fudido deve ser maconheiro. Vamos conseguir umas informações.

REPÓRTER

- N-Não, c-capitão... não! Me expressei mal!!! È que o Sr. disse que torcia para um time do Rio. A-Achei que era uma dos grandes. S-Só queria saber qual para concluir a entrevista.

Cap. Nascimento

- Ih, se mijou todo, nr. 05! Tá bom, vou relevar. Torço para o Bangu. Torço para ver tudo quanto é traficante lá em Bangu I, Bangu II, ...


Vi lá no Calango74. Vai lá, tem mais.

quinta-feira, novembro 01, 2007

Droga de Elite

Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, realizada a partir de dados do IBGE, mostra o retrato dos usuários de cocaína, maconha e lança-perfume: homens, jovens e ricos. É o mesmo perfil dos que mais morrem no trânsito

A discussão levantada pelo filme Tropa de elite sobre a colaboração das classes mais abastadas na manutenção da venda de drogas ganhou munição estatística. Pesquisa divulgada ontem pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) aponta que o consumidor de entorpecentes no Brasil é homem, jovem e da classe A. O estudo, feito com base nos dados de 2003 sobre orçamento familiar do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considera a situação dos que declararam utilizar maconha, cocaína ou lança-perfume. Foram ouvidas no levantamento feito pelo IBGE 180 mil pessoas, das quais 0,06% disseram consumir drogas.

“Sabemos que há pessoas que usam mas não declaram, por razões óbvias, ainda que haja o sigilo nas entrevistas do IBGE. Mas conseguimos chegar a um dado preciso, do ponto de vista das informações, colhidas de um número significativo de pessoas que admitiram usar drogas”, diz o pesquisador da FGV Marcelo Neri, autor do estudo apresentado ontem e intitulado O Estado da Juventude: Drogas, Prisões e Acidentes.

Especialistas na área de violência e segurança pública concordam com os dados. “Há estudos que apontam, mas de um ponto de vista empírico, que os consumidores das classes altas são importantes nesse esquema do tráfico. Agora esse estudo, ainda que subsidiado apenas pelas respostas voluntárias, comprova isso com rigor estatístico”, afirma Robson Sávio, do Centro de Estudos da Criminalidade e Violência da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Para ele, o levantamento não só representa um retrato do consumo de drogas no país como contribui para a elaboração das políticas públicas.

Diante da incidência de jovens — especialmente na faixa dos 20 aos 29 anos — no consumo de drogas no país, ressalta Robson, o poder público deveria incrementar as campanhas educativas. “Não adianta realizar palestras pontuais, é preciso uma política de prevenção mais forte, que tenha engajamento sério da escola”, destaca o especialista. Para se ter uma idéia do problema, que começa cada vez mais precocemente, o índice de usuários declarados que têm entre 10 e 19 anos é de 36%, enquanto essa mesma faixa etária representa 17% da população total do país.

Os números mostram-se mais reveladores, no entanto, quando apontam a posição socioeconômica dos consumidores de drogas. São brancos (85%), de classe A (62%), com oito a 11 anos de estudo (60%) e que ocupam a posição de filho dentro de casa (80%), no lugar de chefes da família ou cônjuge. “Essa variável do papel de filhos, junto com todas as outras, reforça a visão do filme Tropa de elite. Acho, inclusive, que é o mérito da fita mostrar a realidade da droga no varejo e quem a consome”, afirma o pesquisador Marcelo Neri.

Para George Felipe Dantas, coordenador do núcleo de Segurança Pública do Uni-DF, o filme criou um momento político importante para que o tema seja debatido. “Essas estatísticas estão corretas, especialmente quando falamos de maconha e pó. Ao lado das mais recentes drogas sintéticas, são eles os típicos entorpecentes utilizados pela classe média”, diz Dantas, que também é consultor da Secretaria de Segurança Pública, vinculada ao Ministério da Justiça.


Debate diferente

Sávio, da UFMG, comemora o novo debate sobre o tráfico de drogas, saindo do cenário do morro e do traficante como personagem principal, e chegando ao consumidor. “A parte da distribuição e do consumo sempre foi muito pouco discutida. Agora é que esse tema veio à tona”, diz o especialista em segurança pública e violência. Ele teme, porém, que o debate seja distorcido. “Criminalizar, a partir de agora, o usuário, também não resolverá o problema”, diz. “O que precisa ser feito é ampliar e fortalecer as políticas de tratamento, encarando a droga como questão de saúde pública.”

Outro dado revelador, do ponto de vista econômico dos usuários, é o acesso a sistemas de crédito no mercado financeiro. Quarenta e quatro por cento têm cartão de crédito, contra 17% da população em geral. Entre os que possuem cheque especial, o índice é de 35%, sendo que apenas 12% dos brasileiros contam com esse tipo de vantagem. Embora teoricamente mais confortáveis financeiramente, os consumidores de drogas costumam atrasar prestações de aluguel, água, luz e compras divididas. São 11%, contra 7% da população ao todo.

“(O estudo) mostra hábitos interessantes levantados ao longo da pesquisa. Cabe analisar se o costume de atrasar pagamentos tem a ver com a quantia gasta na compra de drogas”, analisa Neri. Segundo ele, o estudo pode ser um bom ponto de partida para analisar o perfil dos consumidores. “Ninguém tem condição de afirmar se os dados refletem toda a população que consome, mesmo aquela que não declara. Talvez só os traficantes tenham essa radiografia”, afirma o pesquisador. “Mas podemos intuir também que o sentimento de impunidade, e a voluntária decisão de se autodeclarar consumidor, seja maior entre os ricos.”

Presidiários

É também o jovem que protagoniza o problema carcerário e a mortalidade no trânsito do país. Um esquema estatístico elaborado pela FGV, de acordo com dados da população penitenciária brasileira, apontou os fatores de risco que podem levar uma pessoa a se tornar presidiária. O perfil mais crítico é o do homem, solteiro, com idade entre 18 e 35 anos, migrante, com seis ou menos anos de estudo e de cor parda ou negra. A variável de risco mais preponderante, porém, é o sexo. Homens têm cinco vezes mais chances de serem presos que mulheres.

No caso do trânsito, é também o homem, e jovem, a maior vítima. Dados de 2005 do Ministério da Saúde mostram que, numa população de 100 mil habitantes, morrem 45,39 homens e oito mulheres. Todos na faixa etária dos 15 aos 19 anos. Dos 20 aos 29, essa proporção passa de 18,32 homens para 2,88 mulheres. A pesquisa ressalta, entretanto, que o número de desastres fatais caiu quase 6% de 1992 a 2004.

Para George Felipe Dantas, coordenador do núcleo de Segurança Pública do Uni-DF, o jovem no olho do furacão é uma questão sociológica. “Na sociedade medieval e também na moderna, o homem está mais exposto à dinâmica social, que envolve criminalidade, drogas, trânsito”, afirma o especialista. “Como explicar o jovem como grupo de risco em quase todos os problemas, inclusive doenças como Aids? Faz parte do perfil do jovem passar por riscos.”

Diferentemente das mortes no trânsito e do consumo de drogas, em que o jovem rico é o protagonista, na questão penitenciária é o pobre a maior vítima. “Não é que os hormônios tenham classe social, só o tipo de manifestação é que muda”, diz Neri. Para Dantas, nada mais típico em países de primeiro mundo que a relação entre condição social e apenamento. Ele destaca, entretanto, que as deficiências no sistema jurídico também colaboram com a situação. “O pobre não tem acesso aos instrumentos de defesa, precisa contar com defensores públicos, quando existem.”

Fonte: Correio Braziliense

terça-feira, outubro 30, 2007

Curiosodades curiosas

- ALGUMAS COISAS QUE NUNCA LEMBRAMOS:

Os Sete Pecados Capitais :
. Gula
. Avareza
. Soberba
. Luxúria
. Preguiça
. Ira
. Inveja

Os Dez Mandamentos:

1º - Amar a Deus sobre todas as coisas
2º - Não tomar o Seu Santo Nome em vão
3º - Guardar domingos e dias de festa
4º - Honrar pai e mãe
5º - Não matar
6º - Não pecar contra a castidade
7º - Não furtar
8º - Não levantar falso testemunho
9º - Não desejar a mulher do próximo
10º - Não cobiçar as coisas alheias

Os Três Reis Magos:

O árabe Baltazar: Trazia incenso, significando a divindade do Menino Jesus.
O indiano Belchior: Trazia ouro, significando a sua realeza.
O etíope Gaspar: Trazia mirra, significando a sua humanidade.

Os Doze Apóstolos:

1 - Simão Pedro
2 - Tiago ( o maior )
3 - João
4 - Filipe
5 - Bartolomeu
6 - Mateus
7 - Tiago ( o menor )
8 - Simão
9 - Judas Tadeu
10 - Judas Iscariotes
11 - André
12 - Tomé.

* Após a traição de Judas Iscariotes, os outros onze apóstolos elegeram Matias para ocupar o seu lugar.

Os Doze Profetas do Antigo Testamento:

1 - Isaías
2 - Jeremias
3 - Jonas
4 - Naum
5 - Baruque
6 - Ezequiel
7 - Daniel
8 - Oséias
9 - Joel
10 - Abdias
11 - Habacuque
12 - Amos

Os Sete Sábios da Grécia Antiga:
1 - Sólon
2 - Pítaco
3 - Quílon
4 - Tales de Mileto
5 - Cleóbulo
6 - Bias
7 - Períandro

As Musas da Mitologia Grega ( a quem se atribuía a inspiração das ciências e das artes)

1 - Urânia ( astronomia )
2 - Tália ( comédia )
3 - Calíope ( eloqüência e epopéia )
4 - Polímnia ( retórica )
5 - Euterpe ( música e poesia lírica )
6 - Clio ( história )
7 - Érato ( poesia de amor )
8 - Terpsícore ( dança )
9 - Melpômene ( tragédia )

As Sete Cores do Arco-Íris:
. Vermelho
. Laranja
. Amarelo
. Verde
. Azul
. Anil
. Violeta

II - O QUE SEMPRE PERGUNTAM E VOCÊ NÃO SABE


As Sete Maravilhas do Mundo:

1 - As Pirâmides do Egito
2 - As Muralhas e os Jardins Suspensos da Babilônia
3 - O Mausoléu de Helicarnasso ( Também conhecido como O Túmulo de máusolo em Éfeso )
4 - A Estátua de Zeus, de Fídias
5 - O Templo de Artemisa (ou Diana)
6 - O Colosso de Rodes
7 - O Farol de Alexandria.

As Novas 7 Maravilhas do Mundo:
1. Brasil - Cristo Redentor (Christ Redeemer), Rio de Janeiro*
2. China - Grande Muralha da China (Great Wall of China)
3. Índia - Taj Mahal (Taj Mahal)*
4. Itália - Coliseu (The Colosseum), Roma
5. Jordânia - Petra (Petra)*
6. México - Pirâmides de Chichén Itzá (Chichen Itza), Yucatan
7. Peru - Machu Picchu (Machu Picchu)*

Você Sabia ????

1 - Durante a Guerra de Secessão, quando as tropas voltavam para o quartel após uma batalha sem nenhuma baixa, escreviam numa placa imensa: " O Killed " ( zero mortos ).. Daí surgiu a expressão " O.K. ". Para indicar que tudo está bem.

2 - Nos conventos, durante a leitura das Escrituras Sagradas, ao se referir a São José, diziam sempre " Pater Putativus ", ( ou seja: "Pai Suposto" ) abreviando em P.P .".
Assim surgiu o hábito, nos países de colonização espanhola, de chamar os "José" de "Pepe".

3 - Cada rei no baralho representa um grande Rei/Imperador da história:
. Espadas: Rei David ( Israel )
. Paus: Alexandre Magno ( Grécia/Macedônia )
. Copas: Carlos Magno ( França )
. Ouros: Júlio César ( Roma )

4 - No Novo Testamento, no livro de São Mateus, está escrito " é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha que um rico entrar no Reino dos Céus "... O problema é que São Jerônimo, o tradutor do texto, interpretou a palavra " kamelos " como camelo, quando na verdade, em grego, "kamelos" são as cordas grossas com que se amarram os barcos. A idéia da frase permanece a mesma, mas qual parece mais coerente?

5 - Quando os conquistadores ingleses chegaram a Austrália, se assustaram ao ver uns estranhos animais que davam saltos incríveis. Imediatamente chamaram um nativo ( os aborígenes australianos eram extremamente pacíficos ) e perguntaram qual o nome do bicho. O índio sempre repetia " Kan Ghu Ru ", e portanto o adaptaram ao inglês, " kangaroo" ( canguru ).
Depois, os lingüistas determinaram o significado, que era muito claro: os indígenas queriam dizer: "Não te entendo ".

6 - A parte do México conhecida como Yucatán vem da época da conquista, quando um espanhol perguntou a um indígena como eles chamavam esse lugar, e o índio respondeu " Yucatán ". Mas o espanhol não sabia que ele estava informando " Não sou daqui ".

7 - Existe uma rua no Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, chamada "PEDRO IVO". Quando um grupo de estudantes foi tentar descobrir quem foi esse tal de Pedro Ivo, descobriram que na verdade a rua homenageava D.Pedro I, que quando foi rei de Portugal, foi aclamado como "Pedro IV" (quarto).
Pois bem, algum dos funcionários da Prefeitura, ao pensar que o nome da rua fora grafado errado, colocou um " O " no final do nome. O erro permanece até hoje.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Wagner Moura defende "Tropa de Elite"


Em artigo ao Globo, Wagner Moura diz que 'Tropa de elite' não é fascista

Publicada em 25/09/2007 às 08h35m
Wagner Moura


Escrevo instigado pelo bom texto do Arnaldo Bloch (leia o artigo na íntegra aqui) sobre a sessão de estréia de "Tropa de elite" . E respondo categórico à sua pergunta: Não, "Tropa de elite" não é fascista. Não é possível que alguém que tenha visto "Ônibus 174", um dos filmes mais humanistas dos últimos tempos, possa achar que o Zé Padilha (o diretor) tenha feito um filme fascista. Mas também fico preocupado quando vejo o capitão Nascimento ser tratado como herói. Fico pensando como reagiria ao filme uma platéia sueca. Não creio que pensariam naqueles policiais torturadores como heróis, assim como muita gente que vê o filme aqui também não pensa. Talvez os suecos não precisem de heróis. Talvez, aí sim uma tragédia, fascistas estejamos nos tornando nós, brasileiros, cidadãos carentes de uma política de segurança pública qualquer, que vemos naqueles policiais honestos, bem treinados, mas desrespeitadores dos direitos humanos mais elementares, a solução para o caos em que estamos metidos. Compartilhei contigo, Arnaldo, a vontade de vomitar o pastel de cordeiro no Odeon. Mas, na minha opinião, "Tropa de elite" contribui com o mais importante em épocas de crise: o debate (inimigo do fascismo). O filme traz um ponto de vista fundamental para se entender e discutir segurança pública, o olhar do policial. Eu, particularmente, discordo do capitão Nascimento em quase tudo, mas não posso deixar de ver a importância de entender seu pensamento como fundamental para o debate sobre violência no Brasil, já que é ele, assim como os traficantes e os moradores de favela, quem vive diretamente essa guerra particular, como nos ensinou, não por acaso, o capitão Rodrigo Pimentel, roteirista do "Tropa de elite", no seminal "Notícias de uma guerra particular", de João Moreira Salles.


Acho que o "Tropa", além dos méritos artísticos que tem, talvez já seja o filme pós-retomada que mais suscitou debates, a começar pela questão da pirataria, exaustivamente discutida. E não vejo, no Brasil de hoje, debate mais importante do que violência e segurança pública. Segurança pública não tem mais a ver só com a tragédia das vidas que se vão por conta da guerra polícia-tráfico-com-moradores-no-meio. Tem a ver, por exemplo, com aumento de verbas para a Previdência e para a Saúde. E, quando falo de violência urbana, quero lembrar que se para nós, moradores da Zona Sul, maioria na sessão do Odeon, a chapa já tá quente há muito tempo, imaginem para quem não pode sair de sua casa por ordem de um traficante, quem tem que passar a noite no chão com medo de bala perdida, quem é esculachado e desrespeitado pela polícia, quem não pode falar com o parente da comunidade vizinha por ordem do poder oficial, ocupante do vácuo deixado pelo poder instituído que, por sua vez, vem historicamente negligenciando essas pessoas. Isso é um fato: as maiores vítimas da violência urbana no Brasil são os moradores das favelas, e o filme mostra isso. Estou convicto: não há armas mais poderosas de combate à violência do que educação, cultura, lazer, esporte, bem-estar social e geração de emprego. É assim que o capitão Storani, oficial do Bope reformado que nos auxiliou no treinamento para o filme, tem tentado combater a violência em sua gestão como secretário de Segurança num município da Baixada. E, mais uma vez, recorro ao capitão Pimentel, na maravilhosa entrevista a João Moreira: "Enquanto o único braço do poder público que sobe a favela for a polícia, não haverá solução."

Pimentel foi também o primeiro policial que eu vi defender a legalização do consumo de drogas, que o Arnaldo reclamou não constar nos debates do núcleo PUC do filme, onde o Zé Padilha estudou. E acho que já passou da hora mesmo de discutir esse assunto com honestidade. Capitão Nascimento põe sua vida em risco todos os dias para lutar uma guerra inútil contra o tráfico e responsabiliza os consumidores pela sua tragédia pessoal. Essa tem sido inclusive uma bandeira defendida por órgãos oficiais de combate às drogas. É lógico que há uma responsabilidade individual nisso, e eu conheço muita gente que deixou de fumar maconha para não alimentar o tráfico. Mas não creio que essa campanha seja mais eficaz do que a legalização do consumo. O uso de drogas existe desde que o mundo é mundo e não vai ser a repressão que vai acabar com o consumo. Mas a legalização pode acabar com o tráfico. Eu vejo o consumidor como o elo mais fraco da cadeia. Combatê-lo é contraproducente. O abuso e o vício devem ser tratados como problemas de saúde pública. O tráfico é que é questão de segurança pública. É o tráfico que arrasta os jovens de periferia para a morte e tenho certeza de que morre muito mais gente na guerra do tráfico do que de overdose. De que forma fazer, eu não sei, mas acho que já passou mesmo da hora de discutir o que me parece óbvio e acredito que o filme contribui com isso. Só mais um dado: sabe de quem partiu a idéia de legalizar as drogas na Holanda? Da polícia, parceiro.

Wagner Moura é ator e protagonista do filme "Tropa de elite"

segunda-feira, setembro 24, 2007

Nós de gravata: Finalmente desvendados...

O serviço de utilidade pública do Kikosofia traz pra vocês o guia ilustrado de nós em gravata, agora os seus problemas se acabaram-se...


Essa é a versão fresca...

Surrupiado descaradamente daqui.

quarta-feira, setembro 19, 2007

Pato Donald agride puma.

No vídeo a luta entre os mascotes dos times de futebol americano das Universidades do Oregon e Houston , nos Estados Unidos, ocorrida no último dia 14 de setembro. Depois de ter sido imitado pelo puma que defende as cores do Houston, o "Pato Donald" agiu tal o seu equivalente em quadrinhos, perdendo totalmente a calma e partindo para agressão com socos e pontapés. O irritadinho foi suspenso por um jogo.

terça-feira, setembro 18, 2007

CPMF? Sou contra!


Vamos ajudar a essa campanha pelo fim da CPMF!

Acessem o site www.xocpmf.com.br e assinem o abaixo assinado! DIVULGUEM! Pelo fim da CPFM!