Páginas

quarta-feira, junho 28, 2006

Futebol e cartoons

Aos trancos e barrancos estamos indo em frente no futebol. A seleção ainda não jogou de maneira empolgante e Ronaldo apesar dos três gols feitos, ainda está visivelmente fora de forma e sem encontrar o ritmo correto de jogo, mas vai caminhando...
A mídia e a população não falam em outra coisa e os problemas do País vão ficando pra depois da final, se o Brasil voltar Hexacampeão pensaremos neles apenas na véspera da eleição e repetiremos (tomara que não!) os mesmo erros de eleições anteriores votando em quem não tem nada a fazer pelo povo e sim pelo próprio bolso, mas quem sou eu pra bancar a consciência coletiva. Vamos em frente, afinal o assunto é futebol.
E futebol sempre esteve ligado a Charges e caricaturas, bem como aos quadrinhos, tendo resultado em boas obras sobre o assunto como "A história do futebol através do cartum" da Bom texto, lançado em 2001, ou "10 na área 01 na banheira e ninguem no gol", da via lettera, abordagens diferentes mas muito legais sobre o esporte bretão e que vale a pena ter na estante.

Outra boa pedida é visitar o site português Museu virtual do cartum, que está com uma exposição sobre o tema futebol, com charges e caricaturas de artistas de diversos países, inclusive o Brasil.

Perdemos! Está tudo perdido!

(é o que esperamos ouvir da França próximo sábado)

domingo, junho 25, 2006

Material educativo para download

Recebi um email essa semana e quase o descarto achando se tratar de spam, mas, grata surpresa! O email, em tom meio sensasionalista, me levou a descobrir uma bela iniciativa do Governo federal que, confesso, desconhecia apesar de volta e meia estar fuçando por lá: O domínio público, onde algumas boas obras nos diversos formato de som, imagens, vídeos e textos educativos, podem ser baixados gratuitamente. O que chama a atenção é o fato de haver ali diversos materiais de cunho pedagógico que podem bem ser utilizados como complemento em sala de aula, tornando os assuntos ainda mais interessantes; por exemplo: vídeos dos testes atômicos na ilha de bikini, documentários sobre a era Vargas ou sobre o funcionamento da energia elétrica; algumas versões em MP3 dos hinos nacionais (atualmente tão esquecidos nas escolas) e livros em PDF. Vale a visita e o download do material, que pode ser usado, como já dito, na sala de aula ou num momento de lazer educativo dentro de casa, promovendo a interação entre pais e filhos e motivando o aprendizado e a discussão. Vão lá.

sexta-feira, junho 23, 2006

terça-feira, junho 20, 2006

Semana nacional Anti Drogas


De 19 a 26 de junho a Secretaria Nacional Anti Drogas (SENAD) Lança a Campanha da Semana Nacional Anti Drogas (a 8ª) com um mote voltado principalmente à prevenção, a campanha pretende atingir alunos de todas as escolas publicas do ensino médio através de trabalhos feitos em parceria com o Instituto Cultural Maurício de Sousa, que elabora as revistas da turma da Mônica a serem distribuídas nas escolas com historinhas que alertam sobre o consumo de drogas; esse ano a turminha deve receber o reforço de Ronaldinho Gaúcho, mais novo integrante da turminha, cuja revista em quadrinhos foi lançada recentemente. Para o lançamento da campanha serão impressos 10 mil exemplares de: cadernos de pesquisa, revistas de atividades e em quadrinhos, álbuns de figurinhas, livros ilustrados, carteirinhas, jogo da memória além de 1 mil exemplares de manual para o professor trabalhar o assunto na sala de aula. Todos eles com os personagens da turminha da Mônica.


Além da distribuição das revistas o projeto prevê a capacitação de educadores para trabalharem com o tema, ajudando assim na identificação e prevenção e pretende atingir todas as escolas da rede pública e ainda realizar o mapeamento de instituições que trabalhem o assunto, formar terapeutas comunitários para trabalhar a recuperação de dependentes e ações em empresas.

sábado, junho 17, 2006

Casseta e Planeta desfalcado: Bussunda morre aos 44

Bussunda: 1962 a 2006

Eram os idos anos 80 e eu estudava no Colégio Militar e ainda era uma verdadeira afronta ser encontrado com uma edição do Planeta Diário ou da Casseta Popular, publicações que circulavam de mão em mão, compradas as escondidas em bancas de revistas que "se prestavam a vender aquela porcaria". O humor escrachado e crítico, as fotomontagens de conteúdo erótico com figuras conhecidas na cena nacional, o fato de ser proibida para menores, etc; eram atrativos que nos faziam correr sempre a "bancado velho Beto" e contrabandear para dentro da sala de aula aqueles exemplares maravilhosos. Um belo dia eu e alguns amigos fomos surpreendidos pela presença dos caras que faziam os dois periódicos (a essa época já aglutinados como um só, após passarem a colaborar na redação da TV Pirata) aparecendo na TV; estreava "Doris para maiores" e lá estava o Bussunda, com toda pança e todo o humor que sempre lhe foi característico. Anos depois surgiria o programa Casseta e Planeta (lembro de na época achar que aquilo não iria durar) que consolidaria a imagem de Bussunda como símbolo do grupo (você lembra o nome de mais alguem do grupo, assim de primeira? Talvez só o do Rupert, ou melhor Herbert, não HUbert, é isso...). O cara era com certeza o mais carismático e mais identificável com o ser humano comum, todos os personagens lhe caíam bem e eram os mais marcantes: Marrentinho, Lula, Ronaldo, as inúmeras mulheres "gostosas"...

Juro que ouvi algumas risadas hoje cedo ao olhar para o céu...Acho que São Pedro deve estar rolando de rir com as perfomances do cara.

Casseta e Planeta - Mais sobre a morte de Bussunda

quarta-feira, junho 14, 2006

A arte de Tim Hildebrandt

O mundo das artes perdeu no último dia 11 de junho, Tim Hildebrandt, ilustrador americano famoso por suas ilustrações de mundos de fantasia (criados juntamente com seu irmão gêmeo, Greg), principlamente as criações para o Senhor dos anéis de Tolkien, são conhecidos por também criar o cartaz original de Guerras nas estrelas para o lançamento no cinema. Tim era um colorista muito requisitado pelas grandes editoras de quadrinhos como a Dc e a Marvel. Aqui o nosso adeus.

Site dos irmãos Hildebrandt - Entrevista com eles (português) - Mais um pouco dos dois

As garotas de Robert Crumb

Nascido na Filadélfia em 1943 o americano Robert Crumb tornou-se um símbolo do movimento underground, sua carreira começou na revista Help editada pelo também icônico Harvey Kurtzman (criador e editor da MAD), a qual abandonou anos depois, seguindo para San Francisco, onde suas críticas contra a hipocrisia e o moralismo americanos o alçaram a categoria de líder do movimento, ainda que contra a sua vontade, o que lhe rendeu muitos escândalos e problemas com a justiça. É o criador de Mr Natural e Fritz, the Cat.



Abaixo capa do álbum "Cheap Thrills" da banda que revelou Janis Joplin lançado em 1968 (dizem que Crumb deu uma recusou fazer a capa de um dos discos dos Stones - O cara adora blues. hehehe)
quer conhecer um pouco mais da obra de Crumb? clique AQUI ou AQUI
Querendo comprar algo do cara? CONRAD EDITORA

Superheróis e suas religiões

Hellboy: Um demônio católico e que reza o terço

Muito já se falou sobre a influência dos super-heróis dos quadrinhos na vida cotidiana das pessoas, seja como uma figura mítica que substituiu os deuses greco-romanos do passado, arquétipos da supraconsciência universal comum a todos os povos e representações de valores morais que todos cultuamos, ou deveríamos cultuar, em nossa sociedade.
Um solene Superman encomenda a alma de um amigo a Deus...
Os heróis dos quadrinhos tanto nos influenciaram e influenciam que raras pessoas no mundo deixaram de ouvir sobre algum deles, ainda que superficialmente, de modo que eles acabam sendo um instrumento perfeito para diversas reflexões (vide a recente moda de escrever sobre filosofia usando personagens como Simpsons, Harry Potter e Supers de modo geral) acerca do universo que nos cerca e também um excelente objeto de estudo.
Pouco antes da Segunda Grande Guerra, Gobbels, ministro da comunicação de Hitler, acusava o Superman de ser judeu, e entre outras ações acabaria proibindo a difusão de suas aventuras na Alemanha nazista, assim como proibiria outros quadrinhos e desenhos animados que de alguma forma fossem "contrários ao espírito 'superior' nazista"; lembrem-se que Siegel e Shuster (criadores do Superman) eram judeus. Mais tarde o famigerado Dr Fredric Wertham iria abalar a indústria dos comics afirmando que origem de todos (ou ao menos da maioria) os males da sociedade americana se originava nos quadrinhos, isso baseado numa pesquisa duvidosa com adolescentes infratores; o que de vez em quando continua ocorrendo entre certos "moralistas e religiosos" que volta e meia culpam quadrinhos e desenhos animados como fonte dos males da juventude, esquecendo-se do papel da educação e da importância da família na formação da criança.
É interessante notar como conceitos religiosos também podem ser estudas e aplicados aos personagens através de alegorias e análises de suas características, por exemplo: O Superman parece ser uma perfeita alegoria do Cristianismo, vejamos, o cara é mandado de um outro mundo com poderes fantásticos, é encontado e criado por pessoas normais, que lhe incutem um extremo senso moral ao mesmo tempo em que ele é também instruído por seu verdadeiro pai com a missão de salvar os humanos, protegendo sempre o lar que o acolheu e tornando-se o maior de todos os heróis, aquele que irá inspirar outros na luta pelo bem contra o mal. Dá pra se pensar ou não?
Bem, foi mais ou menos isso, e com muito mais profundidade, que os carinhas desse excelente site fizeram (em inglês), explorar as possibilidades através da análise de diversas histórias para poder dizer sobre cada personagem dos quadrinhos qual a sua religião e como isso influencia quem o personagem é, suas motivações e aspirações, sua fé e seus conflitos. O Superman não é Judeu como queria Gobbels, ele é Metodista. clique e confira.
Batman: "A chuva em meu peito é como um batismo - estou nascendo de novo"
Vampira tem suas dúvidas sobre a possível "divindade" do Anjo. "ele é só um mutante como você, como todos nós" explica Xavier.

Demolidor: O catolicismo sempre esteve presente em suas aventuras

terça-feira, junho 13, 2006

enchendo línguiça...

Charge publicada no Jornal da Paraíba sobre a estréia na Copa, acho que tem muito brasileiro por ai que tá igualzinho...hehehehe

ferramenta do Google, específica para busca em blogs.
Site legalzinho de uma fábrica de camisinhas com dicas sobre Saúde sexual, DSTs e mais
AQUI

Barbeiros

A Copa do mundo me lembrou de, quando menino, ia a barbearia perto lá de casa e enquanto esperava a minha vez, ouvia a conversa animada dos barbeiros entre si e com os clientes, discutindo sobre todos os assuntos possíveis, desde a escalação da Seleção Brasileira para a Copa de 82, passando pela inflação e criticas duras (porém muitas vezes apaixonadas como as de uma torcida em relação a seu técnico) contra os presidentes militares, em que defendiam ou acusavam esse ou aquele pelas mazelas brasileiras. As vezes a polêmica se acendia e a discussão parecia que iria iniciar uma briga, mas tudo acabava num belo discurso de algum barbeiro mais velho e respeitado.
Lembro que achava que os barbeiros eram os caras mais informados do mundo e assim realmente pareciam, ficava ali, maravilhado com a música das tesouras e das discussões acaloradas, meu pai entrava na conversa também como os outros clientes e a barbearia se tornava mais um local de troca de idéais, de discussão política e filosófica; os cortes eram classicos, a tesoura obrigatória e depois do corte, queimava-se com lavanda e um pouco de talco o "pé do cabelo", a gente saia perfumado e com aquele pó branco sujando o pescoço, dizendo a todos que de onde você acabara de sair.
Não é a toa que a figura do barbeiro é tão comum no mundo das artes, seja na ópera o Barbeiro de Sevilha ou em O Grande Ditador, obra magistral de Chaplin contra o nazismo (leia um ótimo artigo aqui) e ainda em filmes como Barbeiragem total (Barbershop 2 - back in business, 2004).

Na barbearia essa semana encontrei alguns jovens com máquinas elétricas e nariz arrebitado como se a máquina os tornassem grandes artistas (e alguns realmente o são), caras enfezadas, saiu o talco (ficou ultrapassado) e chegou um creme de cheiro adocicado que passam na pele para "diminuir a irritação"; vi rapazes "descolorindo" os cabelos e fazendo desenhos na cabeça com motivos tribais...Não se fala mais em presidentes ou em política, não há discursos filosóficos, mas a Seleção permanece ao lado de conversas sobre "quem comeu quem" e de como "descolar um ingresso falso" para uma festa. A briga começou quando alguem mudou a estação de rádio que tocava pagode e colocou num forró alegando que era "São João". Não houve quem fizesse um discurso, eles têm todos a mesma idade e se acham reis do mundo. Outros tempos.

domingo, junho 04, 2006

As garotas de Bill Ward

Sargento, nós não precisamos prendê-la assim que ela começe a nadar, não é?

Doutor,o senhor parece tão abatido,o que há de errado comigo?
Ele disse que havia ouvido falar muito sobre mim, mas eu lhe respondi que ele teria muito trabalho para provar que tudo era verdade.

Quando meu pai chegava de viagem sempre trazia aquelas revistas de piadas eróticas e eu sempre dava umjeito de pegá-las as escondidas, me fascinava o desenho de um carinha, que sempre desenhava mulheres de seios fartos e pontudos, belas imagens com um pequeno texto engraçado. Bem aqui estão estão algumas daqueles ilustrações, que tambem costumavam aparecer na Playboy e algumas outras do gênero. Bill Ward (1919-1998)









Futebol: belas estatuetas

Tenho andado meio sem tempo para postar, mas a Copa estáse aproximando e encontrei por puro acaso essas belíssimas estatuetas de jogadores do campeonato europeu, produzidas pela Blister Direct, a reprodução de jogadas é perfeita e também uma linda homenagem a esses caras que fazem a alegria de tantos, que durante 90 minutos esquecem seus problemas e vivem um pouco de alegria e principalmente se enchem de esperança torcendo pelo seu time. A receita é antiga: Pão e circo, mas funciona muito bem.









P.S - A receita como dito, é antiga e boa, mas lembre-se que os problemas não se resolvem se o Brasil ganhar a copa. Temos eleições esse ano, portanto fique atento à vida política do país. Entre um jogo e outro lembre-se que a vida fora do campo continua. A responsabilidade é sua.