Páginas

segunda-feira, julho 17, 2006

Super!


Muita coragem! Creio que essa é a frase certa para descrever o que fizeram com o filme do Superman. Fui no sábado,ansioso para ver o filme, peguei uma bruta fila no iguatemi e há dois metros de compra meu ingresso um casal que não se decidia conseguiu que a sessão do horário fosse perdida por mim em razão da lotação ter se esgotado, tive que esperar mais uma hora e meia e ainda ver o filme dublado (mas até que acertaram nas vozes dessa vez); estava preocupado, afinal, Lois estava casada, com um filho e o Super estava sem dar as caras por cinco anos... De repente...Clark está de volta, tentando retomar sua vida após um longo exílio.

Vi inúmeras homenagens no filme: Ao primeiro filme, a chuva de meteoros em Smallville (a série da TV), a Marlon Brandon (que aparece em tomadas emprestadas de Superman, the movie); a Christopher Reeve (Brandon Routh é muito semelhante ao cara e eu não tinha me dado conta disso até ver o filme), à capa de estréia do Super em Action Comics #1, à 1ª aparição do Super na reformulação feita por Byrne após Crise nas Infinitas Terras, à morte do Superman...


A transição entre o Lex Luthor dos filmes anteriores e esse é perfeita, nem tão cômico quanto antes, mas nem por isso sem humor, que agora é mais refinado e psicótico, Lois está menos atrapalhada que na versão da Margot Kidder mas igualmente hiperativa e insensível em relação a Clark, que continua o mesmo trapalhão, mais maduro, mas igualmente trapalhão. Mas chega de conversa.Não perca tempo lendo-me, vá ver o filme, leve a pipoca e prepare-se para acreditar novamente que o homem pode voar...

Postar um comentário