Páginas

quinta-feira, agosto 03, 2006

Educação? pra quê?

Uma reportagem me chamou a atenção essa semana e eu teria me pocado de dar risada, não fosse assunto extremamente preocupante e sério. Determinado candidato à Presidência do País respondia para a reporter, que lhe havia perguntado sobre as críticas que ele recebera por "só falar em educação" - ele muito preparado apenas respondeu: "Se eu falasse só em economia estaria alguém me criticando?".
Fato: A educação é a principal "mola mestra" do desenvolvimento e isso já está mais do que devidamente documentado. Onde há investimento em educação, as pessoas conseguem obter um padrão de vida melhor e o lugar acaba desenvolvendo-se mais rápido e mais solidamente, vejamos o exemplo demonstrado numa reportagem da revista Veja meses atrás, que mostrava as diferenças gritantes entre a Coréia (um dos maiores desenvolvimentos econômicos do mundo) e o nosso querido País; Numa comparação que tinha como ponto inicial o ano de 1960, período em que a Córeia estava imersa numa famosa e sangrenta guerra civil e o Brasil ainda não estava contaminado pela ditadura, os dois países possuiam índices de analfabetismo em torno de 35% da população, hoje a Coréia tem quase 0% de analfabeto e a grande maioria dos jovens chegam a faculdade (82%), os professores são muito bem remunerados (cerca de 6 mil dólares) e as esolas recebem investimentos maciços do governo. Aqui apenas 18% dos jovens consguem chegar à faculdade, há uma taxa oficial de 13% de analfabetos (sendo que um indice do Instituto Paulo Montenegro aponta que somente 25% dos alfabetizados consegue utilizar funcionalmente o alfabeto...) e as escolas vêem tudo menos investimentos.
Não seria a hora de comerçarmos a cobrar mais dos nossos governantes que olhassem para a educação?
lembre-se que uma pessoa educada está apta a fazer escolhas e não apenas seguir as escolhas alheias. Somente a Educação vai lhe dar os instrumentos para que você possa decidir o seu futuro, por isso pense bem nesses meses que se aproximam e vote naquele candidato que apresente proposta concretas, veja, avalie, ouça opiniões contrárias e escolha. Depois de escolhido o seu candidato, acompanhe o trabalho dele, cobre, critique, faça ele ver que ele depende de você, do seu voto, e que ele deve lhe representar e não representar os seus proprios interesses, assim quem sabe podemos construir um futuro melhor.
Postar um comentário