Páginas

domingo, abril 23, 2006

Impressões de uma viagem a corte

Acabo de chegar da Bahia (Salvador, como diziam os antigos do interior) e passeando pelo meu bairro, após visitar meus pais, descobrir coisas intrigantes:

Nunca o lugar esteve tão bem policiado, vi pelo menos 04 viaturas circulando, várias duplas ou trios de policiais, mas no entanto, a sensação de insegurança dos meus conhecidos nunca foi tão grande, não, nada a ver com violência policial, parece mais descaso mesmo.

O padre da matriz chamou atenção para o fato da igreja ter sido arombada por alguns usuários de drogas que costumavam dormir nos adros da igreja, roubaram 20 cesta básicas que seriam distribuídas entre famílias pobres do bairro; interessante é que houve várias testemunhas do fato, que nada fizeram; apelou-se para a polícia que disse nada poder fazer, os caras são conhecidos e andam soltos pelas ruas da feira local.

Descobri que uma amiga de infância passou a traficar drogas e agora toma conta de um outrora respeitado barzinho na minha rua, um de seus amigos mudou-se para lá com uma "galera do mal" e vive afrontando a polícia dizendo que ali "não vem que não tem pra políciazinha nenhuma, é tudo bosta!", detalhe: moram ao menos tres policiais na rua (embora já senhores...). Viaturas da polícia, que nunca passaram por ali, agora são uma constante, mas nada resolvem.

Ia a casa de um amigo meu, mas fui alertado por ele que após as 21h00 era perigoso andar por lá, e nós costumávamos ficar nas ruas até as 03h00 da manhã conversando ou vindo de alguma festa ou barzinho. A polícia passa toda hora com viaturas e policiais bem armados...

Meu pai outro dia foi atropelado em frente a tres policiais, que nem sequer piscaram, após ser ajudado a levantar (Graças a Deus sem ferimentos) pelo motoqueiro que o atropelara, nervoso (ele é cardíaco) dirigiu-se aos PMs e perguntou se eles não tinham visto ocorrido, desdém e uma mão no coldre levada por uma policial foi a resposta que obteve, além de um "maluco"...

Na TV o governo do estado anuncia novos e maiores investimentos em segurança, com retoques de programa popular, de baixo nível e apelativo; que lembram os antigos programas de plantão do rádio ("faaaaaaaala bareta..." - "o mão branca vai agir na área seu delega..." - "o presunto foi encontrado ca boca cheia de furmiga...era o alcaqueta, mané"). Esses pelo menos eram engraçados.

Afinal, o que é que está acontecendo????????
Postar um comentário