Páginas

segunda-feira, outubro 02, 2006

Picolé de chuchu desce amargo.

Paulo Caruso para o JB Online - 09/08/06

Geraldo foi para o segundo turno. Lembro do início das convenções do PSDB em que o candidato era tido como azarão e sem perspectiva de crescimento, queriam o Serra para a disputa, mas graças a raça do Geraldo, teremos segundo turno para as presidenciais, claro que o “picolé de chuchu” foi ajudado pelas trapalhadas efetuadas pela equipe do governo e pelas inúmeras denúncias de corrupção envolvendo o governo Lula, que se não chegaram a atingi-lo diretamente, causaram um enorme desgaste do mito, principalmente pelos inúmeros “eu não sabia” que marcaram as respostas insossas do presidente; a falta ao debate determinou a ida ao segundo turno, constituído-se um desgaste maior do que o enfrentamento com seus opositores poderiam causar, o clima de “já ganhou” tornou o candidato prepotente; todos sabiam que Lula não compareceria ao debate e todos se aproveitaram disso, o grande trunfo seria Lula ter ido – Não tenho nada a esconder – teria sido uma resposta melhor, mais direta e consolidaria junto ao povo a imagem de “homem do Povo, perseguido por ser de origem humilde...” Ao invés disso a imagem passada foi a de covarde, que preferia se esconder por trás da máscara de coitadinho.
O apelo de Cristovam foi marcante: “Já pensou se daqui a dez dias descobrimos que o presidente está envolvido com a corrupção? Temos que ter segundo turno” – Heloísa disse que faltou “coragem moral para enfrenta-la”, reassumindo o papel de perseguida que volta para buscar o enfrentamento e Geraldo a harmoniosa paciência de dizer que quem perdia com a ausência “era o povo” que estava sendo roubado de ter a oportunidade de saber o que ocorria. As pesquisas mudaram e rumo da eleição também. SE o que a equipe do presidente fez foi “trapalhada”, acreditar que o povo não veria isso foi a maior de todas.

Na Bahia, as pesquisas erraram feio e o candidato Jaques Wagner, contra todas as expectativas chegou ao governo no primeiro turno. Mudanças estão chegando na Terra de Todos os Santos; ninguém agüentava mais a turma e a imagem do “dono da Bahia”. Queremos mudança, gritou o baiano e ela veio, sem nenhum tropeço e deixando “o grupo do homi” com cara de tacho de baiana de acarajé vazio. O azeite acabou, doutor.

Mas ainda não estou acreditando: Maluf foi o mais votado! Clodovil está no Congresso! Collor está de volta – e só quer “amigos” no Congresso – Mensaleiros e sanguessugas voltarão... Cadê o povo que quer um Brasil melhor?
Ao menos a dançarina vai poder ensaiai passos de dança em outro lugar. Faustão chama ela pra dança no gelo.
Vale a pena ler: A Mídia tem lado, sim.
Vale a pena conhecer: Observatório de mídia.
Postar um comentário