Páginas

segunda-feira, setembro 25, 2006

Benção

A oração do Angelus ... Jean-Francois Millet (1859)

Seis horas da tarde: Eu e meu irmão nos aproximávamos de Vó, ajoelhávamos e pegando sua mão, diziámos "sua benção minha vó", com um sorriso ela respondia "Deus te abençoe, meu filho" - Esse era o ritual de todo dia à hora de acordar, dormir e no Angelus; assim como rezar o ofício de Nossa Senhora aos sábados. O tempo, claro, foi passando e aos poucos deixamos de fazer a genuflexão, mas pedir a benção, embora de forma menos rígida, continua sendo importante para a minha família e tento ensinar isso aos meus filhos.
Fato é que hoje muitos acham que pedir a benção é "cafona", "antigo", etc. Esquecem o significado do ato, desconhecem a beleza e a honra em ser abençoado; muitos filhos creêm que pedir a benção é ser submisso ao pai e muitos pais deixam de "exigir" a benção por acharem que é "coisa de gente velha", algumas correntes religiosas tambem deixaram de incentivar isso ou simplesmente se esqueceram, já ouvi padres reclamando de seus fiéis lhe pedirem a benção fora da igreja.
A benção não é sinal de submissão ou mesmo exigência ou obrigação, também não é somente um sinal de respeito; mas um reconhecimento de humildade e de esperança; ao se pedir a alguém que esta pessoa lhe abençoe, se está pedindo que ela lhe faça uma oração e lhe deseje o melhor possível: O favores que só a Divindade pode conceder.
Parece fácil ignorar a benção Divina ou a desejar de forma mecânica e automática, repetindo uma velha fórmula sem sentido especial, esquecendo que palavras têm um poder incrível, o de materializar o pensamento. Dizem que uma palavra bem empregada pode levar à ruína ou a salvação, e isso é a mais pura verdade.
Quantas vezes o que nós falamos é capaz de deixar uma pessoa em frangalhos, arrasada e deprimida ou ao contrário, feliz, ativa e motivada? - Abençoar é isso. Criar um incentivo para o subconsciente e para a Alma, é dizer "você está sendo agraciado por seu Criador com todas as graças do mundo, desfrute-as...Bem".
A benção não é exclusiva de pais, os filhos podem e devem abençoar seus pais, os esposos suas esposas e vice-versa, irmãos a irmãos; porque a benção é mais do que uma tradição, é mais que uma fórmula, ela transcende idades e línguas, religiões e filosofias. Abençoe ao seu próximo desejando-lhe tudo aquilo que você gostaria que fosse dado a você. Quem sabe começando assim possamos um dia viver num mundo onde as guerras não sejam mais necessárias, onde o respeito se imponha como forma de civilização e não como conseqüência de poder através da opressão, um mundo em que as pessoas possam se sentir membros de um mesmo corpo, um mesmo povo, independente de fronteiras, ideologias e credos.
Que Deus (Alá, Krishna, Jeová, Javé, Buda, Olorun...Ou quem seja o Criador para você) lhe abençoe.
Postar um comentário