Páginas

sábado, dezembro 30, 2006

Eu te disse...Eu te disse...

Em maio vimos acontecer em São Paulo algo que não era inédito nas páginas jornalísticas brasileiras, mas que pela primeira vez chamava a atenção da mídia de forma tão barulhenta, por quase uma semana, bandidos atacaram o estado com proporções jamais vistas; eram ataques visivelmente coordenados que só acabaram quando o estado rendido procurou as escondidas os chefes da bandidagem para negociar, claro que isso é negado até hoje, afinal quem tem boca diz o que quer, mesmo que os fatos falem o contrário.
Agora vemos a situação novamente acontecer, dessa vez o Rio de Janeiro é o palco do confronto. E novamente vemos desculpas esfarrapadas, "o governo sabia do ataque por isso não foi pior, pois pôde se prevenir"... Morreram quase duas dezenas de pessoas inocentes, mas o governo "sabia" e tomou medidas....Imagine se não soubesse. Reproduzo abaixo o que disse à época dos ataques em maio.

...Se nada for feito quando essa onda de violência passar, estaremos dando um aval para que novas e mais agressivas tsunamis se formem; é esse o momento para deixar de lado o discursso do social e da política, para adotar medidas de eficácia imediata. As medidas sociais (por mais investimento que tenham e por mais necessárias que sejam) só começarão a dar frutos daqui a algumas décadas, não temos esse tempo todo; agora o que precisamos é nos conscientizar que vivemos uma guerra e o Estado não pode ficar impassível diante disso, ou as medidas são duras e rápidas, ou fazemos agora as mudanças que garantam a segurança e o fim dessas organizações criminosas ou então teremos ainda muitas noites de terror no horizonte enevoado que vislumbro a frente...

Agora digam que eu não estava certo.
Afinal, quando começaremos a discutir seriamente a questão da violência em nossas cidades?
A ministra ficou sem o carro e fizeram um escarcéu daqueles, exigiram a Polícia federal, etc. E nós? merecemos o quê? Sermos queimados nos ônibus que trafegam pela cidade?
Postar um comentário