Páginas

sábado, agosto 09, 2008

Eugenio Colonnese morre aos 78 anos.


Morreu na madrugada desta sexta-feira (8), aos 78 anos, o desenhista ítalo-argentino Eugenio Colonnese, criador da vampira MIRZA. Collonese não resistiu a complicações decorrentes de um acidente vascular cerebral e morreu ontem, às 5h, no hospital Itacolomy, em São Bernardo. Ele estava internado há semanas. Um quadro de trombose evoluiu para gangrena e resultou em amputação da perna direita.

Colonnese sofreu um desmaio em fevereiro deste ano, quando passava férias com a familia de sua filha Liliana no Guarujá, no litoral paulista. Descobriu-se então que ele estava com o pulmão muito debilitado devido ao intenso consumo de cigarros.

Colonnese deixa as filhas Liliana, Mônica, Sandra, Valéria e Shane. E os netos René e Graziella. Após o seu primeiro internamento hospitalar em fevereiro deste ano, Colonnese realizou uma história em quadrinhos com sua personagem mais conhecida Mirza, e outra de "Morto do pântano". Também concluiu a graphic novel "A vida de Chico Xavier", que será lançada em outubro pela Opera Graphica.

Colonnese, que viveu na Argentina por muitos anos, veio ao Brasil no início da década de 60. Aqui, ao lado do argentino Rodolfo Zalla, fundou o estúdio D-Arte em 1967, que produzia histórias em quadrinhos para diversas editoras, entre as quais Editora Brasil-América (EBAL) e a Jotaesse. A dupla produziu também quadrinhos didáticos. Uma de suas personagens mais populares ao longo de sua carreira, foi Mirza, uma vampira sedutora criada em 1967 no Estúdio D-Arte para a editora Jotaesse, de José Sidekerskis. Portanto, dois anos antes da americana Vampirella. Voluptuosa, curvilínea, com longos cabelos negros e com figurino sensual, Mirza seduzia facilmente suas vítimas, dentro e fora das histórias em quadrinhos.

Postar um comentário